sábado, 17 de junho de 2017

A Dor e Alegria de correr a primeira Maratona



No domingo 11/06 aconteceu a Maratona Internacional de Porto Alegre. 
A prova reuniu quase 10 mil corredores nos percursos de 3km, 5km, 10km, 21km e 42km.

Como comentei anteriormente aqui no blog, decidi treinar, me preparar para fazer a tão sonhada primeira maratona. Foram 4 meses de treinos específicos até a data da prova, já com uma base de 8 anos na corrida de rua.
- Foram quatro meses pensando, acordando, treinando, dormindo, comendo, tudo...pensando na maratona.
- Treinos 6 vezes na semana, algumas vezes 2 treinos no dia.
- Tudo que comia, pensava na tal da maratona. "Isso pode, isso não, isso vai comprometer no treino."
Tive a orientação da Nutri Adriane Rodriguez. 
- Algumas (muitas) renúncias, saidinhas, bebidinhas, a prioridade era sempre tentar dormir mais cedo. Saída na sexta à noite? Nem pensar, sábado tem longão, ou seja, treino com a maior quilometragem da semana. E assim foi, vieram os treinos de 25km, 26km, o assustador 30km e 32km.
A parceria e amizade nos treinos foram fundamentais. Muitos treinos, muitas horas, muita dedicação, muita terapia do asfalto com a amiga Cris Chemello, parceira incansável em todos os momentos.
Nas últimas três semanas que antecederam a prova as dores vieram com tudo! Dores na coxa esquerda, dor física e mental, cansaço dos treinos e a eterna dúvida de quem vai fazer sua primeira maratona: será que consigo? Essas dores me fizeram  parar, fiquei alguns dias sem treinar o que acabou me deixando mais ansiosa ainda, apesar de toda calma e orientação do meu treinador Prof.Chico.
Sou grata ao meu amigo Dr. Nilvio Severo, traumatologista que me atendeu com muita agilidade. Fiz ressonância uma semana antes da maratona e sem lesão, fui liberada para seguir em frente. 
Fiz algumas sessões de Fisioterapia com a Rafaela Cabral, que também  me ajudou em todo processo.

Enfim, tudo  pronto...chegou o dia da prova, da maratona, dos 42km195m.
Acordei às 04:30h da manhã no domingo, às 6h já estávamos no Barra Shopping local da largada da maratona. Friozinho de 10.C na largada e o coração batendo forte, ansiedade a mil.
Por mais que tentasse me acalmar, pensar "fica tranquila, você treinou", ahhh baby, é impossível, é a tão sonhada maratona, oremos todos! 
Nos primeiros quilômetros tudo ok, controlando o pace/velocidade, aquela euforia da largada. Após o km 7 eu e a Cris nos distanciamos um pouco e depois a perdi de vista. Próximo ao km 10 me deu vontade de fazer "xixi" e cadê o banheiro químico? Meu marido estava me acompanhando de bike, logo encontrou um matinho acessível para eu usar, quem nunca? Problema resolvido.
A minha ansiedade me deixou "travada", a corrida não fluiu solta, mas seguimos o baile e era longo o tal baile. Meu marido esteve do meu lado o tempo todo, de bike ele levou uma mochila com: mariola, pasta de amendoim, biofenac spray, tylenol, água, isotônico...enfim, vários outros itens que auxiliaram durante o percurso. 

No km 27, eu já estava bem cansada e intercalando algumas caminhadas durante a prova, nesse momento quebrou a corrente da bike e meu marido fez os 15km finais empurrando a bike e correndo comigo.
Tive início de cãibra algumas vezes durante o percurso o que me fez reduzir bastante o ritmo e intercalar com caminhada. Senti dores no joelho, nas panturrilhas, corpo pesado...fiquei feliz quando avistei a plaquinha dos 30km, enfim você chegou danadinho!!! Agora precisava administrar 12km.
Nesse momento você vê muita gente caminhando, parando, sentindo dor e tantas outras te motivando a não parar. 

Segui em frente, passo por passo, quilômetro por quilômetro e começa a passar um filme na cabeça, toda trajetória, tudo que fiz até chegar ali, todas as pessoas envolvidas, tudooo! Dor, trote, caminhada, vamos lá, não é momento para parar, senão o corpo trava de vez! O apoio do meu marido foi fundamental, sempre me motivando a não parar e dizendo que eu iria chegar. Foto na plaquinha de 41km, faltava pouco, a emoção começou a tomar conta.

Quando avistei o pórtico de chegada, ahhhh me emocionei, chorei feito criança, estava a poucos metros da realização do meu sonho apesar de tanta dor. 
Choro, emoção, felicidade, dor, a chegada!!

Minha filha veio ao meu encontro, cruzamos a linha de chegada juntas, quanta emoção, lágrimas de felicidade, de conquista, de sonho realizado, de tanto esforço, de euforia, amor! Que alegria!!

O choro, o abraço da chegada, as amigas, o brinde, só emoção!




Só tenho a agradecer a todos os envolvidos em todo processo, família, amigos, profissionais, todos que participaram de alguma forma e torceram por mim, obrigada!

Agora posso dizer: Eu sou maratonista! Se valeu a pena? Muito, cada quilômetro!

2 comentários:

  1. Rô..Pude sentir cada emoção que vc descreveu neste post..Printei, irei guardar para um futuro..Estou no começo dessa trajetória e tenho certeza que um dia direi, SOU MARATONISTA..Não importa o quão demore..Obrigada por compartilhar conosco cada experiência vivida..Gratidão ❤

    ResponderExcluir
  2. És Maratonista SIIIIMMM !! És uma guerreira!! Parabéns querida amiga!!!��������������

    ResponderExcluir