quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Descubra qual a causa dos seus 'quilinhos a mais'

Para emegrecer e se manter magro é necessário mais do fazer dietas e exercícios, é preciso encontrar o equilíbrio entre o corpo e a mente

Nas últimas décadas, a população do Brasil e do mundo está ficando mais pesada. Segundo recente pesquisa da Universidade de Brasília (UNB), cerca de 30% dos brasileiros sofrem com sobrepeso e obesidade. A OMS (Organização Mundial da Saúde) a nomeou como a doença do século XXI. Muitos estudos científicos já comprovaram que a obesidade pode ser o resultado de um problema médico, de ordem genética, emocional, algum tipo de dissabor, sedentarismo, entre outros. Muitas vezes, contudo, ganhamos peso sem motivo aparente. Por que isso acontece?

Há algumas situações no nosso dia a dia que nos fazem engordar, apesar de não percebermos. Na atual sociedade, altamente capitalista e dinâmica, é muito comum o ser humano ficar mais tempo fora de casa, geralmente está no seu local de trabalho ou em lugares públicos para tratar de negócios, como restaurantes, bares, cafeterias, entre outros pontos de encontro, além do tradicional happy hour, no final do expediente.

Uma vez inseridas nesta rotina, as pessoas ganham alguns quilinhos a mais, pois os mais variados assuntos são tratados à beira de uma mesa. O alimento, portanto, virou também, além de um item relevante para a sobrevivência, um instrumento de "encontro", ou seja, muitas vezes não conseguimos conversar sem mastigar ou tomar alguma coisa ao mesmo tempo. A comida, com isso, deixou de ser um momento especial e sagrado, podendo ser consumida a qualquer hora e local.

A psicoterapeuta e diretora do Instituto de Psicoterapia Avançada AMO, Maura de Albanesi, faz uma análise do assunto. Ela afirma que o momento dedicado à alimentação deve ser exclusivo. Porém, muita gente, quando come e trata de negócios ou se reúne com amigos ao mesmo tempo, dá mais importância ao assunto discutido, a ponto de não perceber os sinais de saciedade do corpo, ingerindo, desta forma, mais do que o necessário.

"A refeição, de fato, vai perder a sua importância e função diante da energia dos participantes da mesa e da tensão do assunto que está sendo discutido. A pessoa vai consumir o alimento sem apreciar o seu sabor, cor, tamanho e quantidade. Além de tudo, a comida causa satisfação e prazer, amenizando, assim, qualquer ansiedade e aborrecimento que o assunto pode causar", diz Maura.

Há de se levar em conta também, que muitas pessoas engordam porque, indiretamente, são influenciadas pela família. Em uma casa, por exemplo, onde todos são gordinhos, os indivíduos podem comer compulsivamente por influência uns dos outros, pois há uma troca de energia entre eles, o que incentiva o desejo comum. Já outras pessoas encontram na comida uma forma de companhia, isto é, buscam dentro da geladeira alguma coisa que preencha o vazio que sentem no seu íntimo, causando o aumento de peso desnecessário.

"Quando alguém chega ao ponto de comer para encontrar companhia, é porque os seus comandos mentais estão indisciplinados e enfraquecidos. Portanto, a pessoa precisa tratar imediatamente a emoção, corpo e mente", diz a psicoterapeuta.

Tratamento

A psicoterapeuta afirma que todos os caminhos são importantes para controlar o aumento de peso, principalmente a reeducação alimentar, que deve ser acompanhada por um profissional, e a prática de atividades físicas, que é essencial para manter o corpo saudável. Entretanto, para que essas iniciativas não "caiam por terra" é fundamental cuidar do equilíbrio energético do corpo e da mente: fazer ioga, meditação, relaxamento, massagem, acupuntura, entre outras técnicas, ajudam a controlar o lado emocional. Vale até mesmo tentar a psicoterapia regressiva, que possibilita a pessoa entrar em contato com conteúdos mais profundos do inconsciente relacionados a dificuldades de emagrecer. Os tratamentos convencionais buscam resolver o problema do paciente por meio de reflexão, muita conversa, leituras e medicação; mas há trabalhos diferenciados.

"Não basta fazer dietas milagrosas. A pessoa precisa conhecer e respeitar melhor o seu corpo e os alimentos. Eles existem para nos sevir, mas não podem ser ingeridos de qualquer jeito. Se for preciso, vou até um restaurante com a pessoa para observar a maneira que ela come. Não vou avaliar se o que ela ingere é saudável, mas o tipo de conversa durante a refeição pode ser decisivo na hora de escolher o cardápio e a quantidade. Se o assunto que vamos tratar pode gerar aborrecimentos, com certeza o seu prato vai ser mais rico em calorias", finaliza a psicoterapeuta.


bonde.com.br

Hoje é dia da Minha Coluna Motivacional no Adoro Esporte...acessem:
http://adoroesporte.wordpress.com/2011/01/05/qual-a-sua-motivacao-adoro-esporte/

28 comentários:

  1. Bom dia Diva!!

    Com certeza nosso ritmo de vida nos leva a gordurinha, foi o que aconteceu comigo quando me casei, mas agora venho mudando algumas coisas e fazendo escolhas melhores.
    Ainda não cheguei ao ponto de cortar frituras refris e afins, mas pelo menos as porçoes diminuiram e mto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ro!

    Feliz Ano Novo, tudo de bom pra ti!
    Muito boa a matéria! eu acredito, sim, que obesidade seja uma doença, e das mais complexas que existem, pois não tem somente uma causa, são uma série de fatores que a determinam.

    Bjaum pra ti!

    ResponderExcluir
  3. Oiii Ro...


    Nossa nem me fale em ritmo de vida, depois que eu casei comecei a engordar acredita?

    Muda tudo né?

    Mas já estou correndo atras do prejuizo!


    beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga linda
    adorei o post, é verdade precisamos de equilíbrio para nos manter magros...
    Olha eu sei muito bem o que é isso...
    tenha um lindo dia...
    bjs da nega

    ResponderExcluir
  5. É amiga pena que o controle emocional não tenha uma receitinha magica! Beijos...

    ResponderExcluir
  6. Oi,td bem?

    Obrigada amiga =)

    Muito interessante essa reportagem...Gostei muito

    A gente é resultado do meio em que vive não tem jeito...


    Bjinhos,tenha um ótimo dia

    Adriana =)

    ResponderExcluir
  7. Oi linda é verdade foi o que aconteceu comigo quando casei e mudei de cidade nunca tinha saido de perto dos meus pais e isso mexeu muito comigo ai descontava tudo na comida mas estou lutando pra resolver isso, otimo post !!! Bjs

    ResponderExcluir
  8. Verdade, mtas pessoas deixam de comer qdo esta nervosa/ansiosa ou triste já euuu minha filha, bato um pratão lindooooooooooooooooo rsrsrsrs e engordo rapidex ^^
    Bom diaaaa Diva!
    bjos

    ResponderExcluir
  9. Dá que pensar, amiga:))
    Abraços grandes

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo joia?!
    Está lindo seu blog, já estou te seguindo...
    Segue o meu tbm, eu iria adorar!!!
    http://conversandosobreesmaltes.blogspot.com/
    Bjos e tudo de melhor pra vc
    nesse ano que está iniciando!!!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Rô
    viver neste mundo capitalista esta cada vez mais difi´cil, é muita pressão, e as pessoas realmente procuram um cano de escape, muitas vezes a comida, precisamos mesmo de muito equilibrio, tenha um bom dia,bjs.

    ResponderExcluir
  12. Oi querida! Tudo bem? Que a ano de 2011 seja ainda melhor p nós todas!!! E que vc esteja sempre aqui no inspirando e nos dando suas preciosas dicas.
    Bjs CRis.

    ResponderExcluir
  13. É verdade a gente come conforme as emoções, o que é uma pena, precisamos controlar isso sempre ao nos sentar pra comer !
    bjo !

    ResponderExcluir
  14. Além do ritmo de vida com certeza o acesso fácil aos fasts foods tem contribuído com a gordura do brasileiro.

    Outro dia estava lendo que em 2022 os brasileiros serão obesos como os americanos....triste isto né?mas eu não vou estar nesta listinha e nem vc né?rsrs

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  15. eu não posso culpar a minha família (aqui são todos magros), nem o casamento (pois sempre fui gorda).
    tenho q assumir a culpa sozinha e correr atrás do prejuízo. é o q to fazendo.

    Feliz 2011!!!

    /(,")\\
    ./_\\. Beijossssssssss
    _| |_................

    ResponderExcluir
  16. oi querida! andei sumida, mas to de volta! feliz 2011!

    Nossa, nunca tinha parado pra pensar nessa coisa de "quanto mais estressante o assunto, mais a gente come"
    e eu sou exatamente assim, sempre comi por impulso. Com certeza o fato de todas as reuniões hj em dia serem cercadas e comida, complica mais ainda...

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  17. realmente uma materia com toda a razao...rs
    quanto mais correria e stress mais fuga para as comidas em excesso...precisamos manter o foco mesmo !
    beijos e um otimo dia!

    ResponderExcluir
  18. Olá,

    Possuo vários blogs de receitas e ando à procura de parceiros para eles e troca de links.
    Se estiver interessado, basta adicionar os nossos links e responder a este email (wservir@gmail.com) com os seus links para que possamos adicionar também.


    http://receitas-afrodisiacas.blogspot.com/
    http://entradas-receitas.blogspot.com/
    http://receitas-diabeticos-dieteticas.blogspot.com/
    http://receitas-sem-gluten.blogspot.com/
    http://receitasnatal.blogspot.com/
    http://receitasfimdeano.blogspot.com/
    http://receitas-cocktails.blogspot.com/
    http://receitas-pascoa.blogspot.com/

    E ainda o site http://pt.petitchef.com

    ResponderExcluir
  19. Eu comia por pura ansiedade. Agora penso e respiro antes de comer. Adorei a matéria. Bjos.

    ResponderExcluir
  20. Adorei a matéria, e é bem assim mesmo...O fato de comer mais é proporcional ao fato de não considerar a alimentação tão importante para nossa vida...Isso é tão contraditório, né?

    Adorei a coluna motivacional! E amo esportes, e a minha mais nova paixão é a bicicleta!!

    Beijos e um lindo dia!

    ResponderExcluir
  21. Amiga linda, vou lá ler com calma sua matéria, afinal você que me incentivou né, tô correndo 2km direto, tô fazendo 5min o km, tá bom né?!rs Dai depois intercalo com caminhada, hoje fiz 6km!:)
    Devagar e sempre!:)
    vamos juntas.

    ResponderExcluir
  22. Oi Roooo, valeu o elogio menina. Muito obrigada viu. E valeu as dicas, ótimas heim. Eu to correndo atras do preju, vamos lá. hehehe. Tem celinho no meu blog. Bjoks

    ResponderExcluir
  23. Oie..

    òtima matéria....o importante é respeitar o seu limite...e saber o que funciona e o que não funciona pra vc...ne?

    Beijão!

    ResponderExcluir
  24. É isso Ro, tenho que correr mais devagar e no mesmo ritimo pra conseguir completar os 5km direto sem intercalar a caminhada...eu chego lá!:)
    * obrigada pela lista das músicas...top!vou conferir!
    beijos

    ResponderExcluir
  25. Oi lindaaaa qto tempo! Adorei passar por aqui e ver tudo lindo e alegre como sempre, e as dicas maravilhosas...hehehe...

    Enfim, tô de volta!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  26. . vc como sempre uma querida Rô! amei seu comentário, para mim é uma honra quando vc passa por lá.
    . hj quase fui para o time das amigas que sairam em revistas, mas pelo jeito a pessoa desistiu da minha história, snifffff, risos mil.
    . beijinhos mil.
    . fique com DEUS.
    http://augusta-emagrecendo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  27. oi querida
    odeio o fato de a comida ter se transformado em parte fundamental do "social" entre as pessoas, do "encontro" sabe?
    a comida deveria ser apenas para sua funcao essencial: manter-nos vivos, funcionando e com saude!

    :************

    Juli

    ResponderExcluir